Ministério da Saúde
Sociedade

Angola regista 32 novas infecções em 24 horas


Dos 32 casos confirmados com idades entre os 3 e 82 anos, 28 foram notificados na província de Luanda e quatro no Cuanza Norte.



Entre os novos infectados, dos quais 26 do sexo feminino e seis do sexo masculino, 12 são contactos directos do caso 133, oito do caso 217 e seis do caso 146. O vínculo epidemiológico dos outros seis infectados é ainda desconhecido. Estes foram encontrados nos centros sentinelas, no âmbito rastreio aleatório e dos pacientes com doenças respiratórias agudas.



Angola tem agora 244 casos positivos, dos quais 10 óbitos, 153 activos e 81 recuperados. Os casos de transmissão local são168 casos, os importados 50 e os de contaminação desconhecida 26.



No ponto informativo sobre a COVID-19 desta sexta-feira, 26 de Junho, o secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda, disse que as localidades mais afectadas são Cazenga, Talatona, Maianga, Belas e Ingombotas.



Tendo em conta os critérios da Organização Mundialbda Saúde (OMS), o número de casos positivos registados nas cinco localidades mais afectadas não preenchem o critério de transmissão comunitária ou sustentada.



"Só podia ser, se tivéssemos números mais elevados de casos confirmados que não se consegue encontrar a cadeia de transmissão, ou se tivéssemos aumento de testes positivos encontrados nos centros sentinelas", esclareceu o secretário de Estado.



Os centros sentinelas, explicou, são todos os estabelecimentos de nível terciário com bancos de urgência, as grandes clínicas privadas e o Hospital Militar. Pelo menos 10 pacientes encontrados nestes centros têm manifestações clínicas respiratórias, de ligeiras a graves, e um caso de manifestações neurológicas.



Nos laboratórios de testagem foram processadas 400 amostras nas últimas 24 horas.



As autoridades sanitárias controlam mais de 900 pessoas nos centros de quarentena institucional, investigam mais de 500 casos suspeitos e mais de 1.200 contactos directos e ocasionais dos casos positivos.



Franco Mufinda deu a conhecer que os jornalistas que frequentavam o Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM) testaram negativo. Informou também que chegaram ao país 50 angolanos provenientes da Turquia, em voo humanitário organizado pela Comissão Multissectorial para a Prevenção e Combate à COVID-19.



As províncias do Zaire, Bengo, Huila, Cabinda, Moxico, Lunda Sul e Benguela realizaram palestras sobre a COVID-19 e campanhas de sensibilização para prevenção da doença.



A população foi aconselhada a usar a máscara sempre que sair de casa, obedecer o distanciamento social e outras medidas vigentes neste período de Estado de Calamidade Pública.