Ministério da Saúde
Saúde

COVID-19: Angola tem 212 casos positivos


Os 15 novos doentes são angolanos com idades entre os cinco e 67 anos, sendo dez do sexo feminino e cinco masculino.



Quanto à forma de contágio, 10 casos são de transmissão local e cinco com vínculo epidemiológico em estudo.



Somando ao registo anterior, os casos de transmissão local são agora 157, os de contaminação desconhecida 20 e os importados mantêm-se os 50.



Do total de 212 casos positivos, 121 estão activos, 81 recuperados e 10 faleceram.



O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, informou nesta quinta-feira, 25, que estão a ser testados os contactos dos casos positivos em quarentena institucional, ao mesmo tempo que se realiza o rastreio de pacientes com doenças respiratórias agudas ou graves e a testagem aleatória em alguns hospitais.



Com o rastreio, disse que foi possível colher, de forma aleatória, 155 amostras em cinco hospitais de referência e em três clínicas privadas, das quais cinco positivas com vínculo epidemiológico em estudo.



"As autoridades sanitárias procuram cortar a cadeia de transmissão da doença implantando várias medidas, entre elas a testagem e recolha de amostras em vários conglomerados", acrescentou o secretário de Estado.



Tendo em conta o aumento exponencial de casos positivos e reconhecendo que as medidas de prevenção ainda são mais seguras, Franco Mufinda voltou a apelar à população para higienização regular das mãos, uso de máscara, distanciamento físico e evitar os conglomerados.



"A progressão da pandemia depende de nós e da forma como acatamos as medidas de prevenção", reforçou.



Nas últimas 24 horas, os laboratórios de testagem processaram 347 amostras, das quais 15 positivas e 332 negativas.



O total de amostras colhidas até ao momento é de 22.895, das quais 212 positivas, 17.527 negativas e as restantes estão em processamento.



Os 515 casos suspeitos mantêm-se sob controlo das autoridades sanitárias, assim com os 1.359 contactos directos e ocasionais dos casos positivos.



Nos centros de quarentena institucional estão 1.035 pessoas e tiveram alta 33 pessoas, sendo 24 em Luanda, quatro na Lunda Norte, duas na Lunda Sul, uma em Cabinda e igual número nas províncias do Huambo e Cuando Cubango.



O Centro Integrado de Segurança Pública recebeu 87 chamadas, das quais duas denúncias de violação de medidas do Estado de Calamidade Pública, dois alertas de casos suspeitos e 83 pedidos de informação sobre a pandemia.



No balanço sobre as actividades, Franco Mufinda informou que a província da Huíla realizou a pulverização dos pontos de entrada na província, no Bié foram capacitados polícias em medidas de biossegurança, enquanto a província do Huambo capacitou líderes religiosos em matéria de prevenção.



A província do Bengo realizou palestras de sensibilização, Benguela fez monitoramento, sensibilização e rastreio em pontos fronteiriços e a província da Lunda Sul reportou acções de sensibilização da população e de passageiros nos principais pontos de entrada dos municípios de Saurimo e Muconda.



O Executivo recebeu nesta quinta-feira mais quantidades de material de biossegurança, testes e equipamentos hospitalar, comprados na China, para o reforço do combate à pandemia.