Ministério da Saúde
Saúde

Profissionais angolanos da Saúde beneficiam-se de programa de formação em cuidados intensivos e neonatais de especialistas portugueses

De acordo com o director da referida Unidade hospitalar, Francisco Domingos, o processo de formação, cujo  módulo tem a duração de uma semana, é resultado de um plano da instituição que dirige em parceria com o Centro Hospitalar Lisboa Central, designadamente o Hospital Dona Estefânia e a Maternidade Alfredo da Costa e conta com o financiamento da Exxon Mobil e das empresas do Bloco 15.

BENEFÍCIOS

Para Francisco Domingos, o acto formativo que agora se inicia será uma mais-valia para sua instituição por entender que “vai melhorar imenso o atendimento ao doente crítico, grave e emergente, ao nível da neonatal”, já para outras instituições participantes, diz que irá dotar as mesmas de capacidade para replicar de forma continua o conhecimento a novos profissionais, bem como permitir dar respostas a nível local, evitando as transferência de algum casos o que irá reduzir as enchentes nos serviços de urgência do HPL-DB.

Para o pediatra Cardoso Casimiro da Unidade de Cuidados Intensivos Pediátrico do Hospital Dona Estefânia Lisboa, formador do primeiro módulo espera que deste acto formativo se troque experiências entre os participantes e que se relembre atitudes e prácticas do dia-a-dia sobre os cuidados intensivos.

PARTICIPANTES

Participam deste primeiro módulo profissionais da Maternidade Lucrécia Paím, Maternidade N’gangula, Hospital Divina Providência, Hospital dos Queimados do Neves Bendinha e técnicos do Hospital Pediátrico de Luanda.
O primeiro módulo que começou no dia 8 e termina a 13 deste, já o segundo módulo arranca a 4 e termina a 11 de Novembro e irá versar-se à questões de neonatologia.

FINANCIAMENTO

O memorando para o presente processo formativo, que começou por volta de 2011 e que por alguns constrangimentos não teve seguimento, foi recentemente reiniciado. O mesmo está avaliado inicialmente em 500 mil dólares americanos.